Colóquio Internacional na Bahia: Faces do Poder/Visages du Pouvoir. Religião e Política na Época Moderna/Religion et Politique à L’Époque Moderne

O evento, que terá lugar nos dias 2 e 3 de maio de 2019, na Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal da Bahia, contará com a exposição de pesquisadores nacionais e internacionais nas mesas: 01-Escrita, Poder e Espiritualidade; 02 A Religião na Política, a Política na Religião: avanços e recuos do Sagrado; 03-Impérios, Inquisições e Fronteiras Confessionais; 04-As Monarquias entre o zelo da Religião e os Deveres do Estado. A professora do Departamento de História da USP, Ana Paula Torres Megiani, coordenará a Mesa 02.

O Colóquio é uma iniciativa da UFBA, CRM-UMR 8596.Centre Roland Mousnier
e a Sorbonne Université.

Veja a programação completa aqui. As inscrições para ouvintes podem ser feitas nesta página.

 

 

Advertisements
Posted in Uncategorized | Tagged , , , , , , , , , | Leave a comment

Lançamento com debate

O livro  Cultura Escrita em Debate – Reflexões sobre o Império Português na América – Séculos XVI a XIX, organizado por Adriana Angelita Da Conceição e Juliana Gesuelli Meireles, será lançado na terça-feira dia 9 de abril às 14 horas com um debate do qual participam uma das organizadoras, a profa. Dra. Adriana Angelita, e uma das co-autoras, profa. mestra, Caroline Garcia Mendes.

O local do evento, aberto a todos sem necessidade de inscrição prévia, é a Sala de Vídeo do Departamento de História da Universidade de São Paulo, Av. Prof. Lineu Prestes 338, Butantã.

Sinopse: A cultura escrita, manuscrita e impressa, no mundo luso-brasileiro do Antigo Regime, tem motivado inúmeros estudos nas últimas décadas. Ela é objeto deste livro, que reúne textos apresentados no VII Simpósio Nacional de História Cultural – Escritas, circulação, leituras e recepções, realizado na Universidade de São Paulo, em 2014. Abordando a temática sob diferentes ângulos, em tempos e espaços distintos e, ainda, valendo-se de fontes as mais diversificadas, os estudos aqui reunidos contribuem de forma decisiva para que se alcance uma maior compreensão sobre a cultura escrita nos dois lados do Atlântico português. Focalizando a materialidade da cultura escrita, as regras que a orientavam, as relações pessoais que exprimiam, bem como os caminhos e descaminhos que poderiam levar das políticas governamentais às investigações científicas, e/ou dos manuscritos aos impressos, tais estudos permitem alcançar algumas tensões sociais e culturais desse mundo Atlântico lusitano anteriormente a 1822, demonstrando que ele trazia uma riqueza e uma pluralidade que não cabem em visões unívocas. Obras de historiadores, estes estudos, enfim, se oferecerão ao leitor não especializado um quadro mais colorido de nossa cultura escrita pretérita, trarão aos especialistas a oportunidade de visualizar possibilidades múltiplas de investigá-la, à luz de novos problemas, métodos e fontes documentais, e em consonância com o desenvolvimento historiográfico mais amplo. (Prof. Dr. Luiz Carlos Villalta)

 

Sumário:

1. Cultura material da escrita ou o texto como artefato; 2. Vividez e verdade nas cartas de Pe. Antônio Vieira: o uso da ecfrase na “Relação da Missão da Serra de Ibiapaba”; 3. O lugar social da correspondência no século XVII: as cartas do governador geral Francisco Barreto (1657-1663); 4. “Da assistência e consolo com que o capelão deve socorrer os soldados enfermos”: aproximações entre um discurso cristão e aspectos de vida religiosa e militar do Povoado do Rio Grande (século XVIII); 5. Cartas de amor, o melhor retrato de Dona Leonor de Portugal; 6. Ousar imprimir: a polêmica da primeira obra impressa de Silva Alvarenga (1749-1814); 7. A Imprensa e a colonização dos sertões no novo Império Português na América (1808-1822).

Ficha técnica
ISBN: 9788546210060
Autor: Adriana Angelita Da Conceição, Juliana Gesuelli Meireles (Orgs.)
Editora: Paco Editorial
Edição: 1ª Edição
Área: História
Idioma: Português
Ano de Publicação: 2018
Número de Páginas: 200
Acabamento: Brochura
Formato: 14x21cm

Posted in Uncategorized | Tagged , , , , | Leave a comment

Seminário Internacional: A Experiência do Historiador, 21 e 22 de Março na UFF-Universidade Federal Fluminense

Do evento, que será composto de seis mesas, participa como expositora a professora livre-docente do Depto. de História da USP, Ana Paula Torres Megiani, com “Um mundo de notícias: estudo sobre a coleção Mascareñas da Biblioteca Nacional de España”.

Participam do Seminário Internacional: A Experiência do Históriador professores e pesquisadores brasileiros e internacionais, incluindo uma Conferência a ser proferida por Frederico Palomo (Universidad Complutense de Madrid): “Trópicos letrados: textos, saberes e práticas eruditas do clero nos espaços do império português da Época Moderna”.

O seminário é gratuito e será realizado na UFF, Campus do Gragoatá. Niterói (RJ), Auditório do Bloco P (mesas) e sala 516 do Bloco N (conferência).

A promoção é da Companhia das Índias e do Núcleo de História Ibérica e Colonial na Época Moderna.

Posted in Uncategorized | Tagged , , , | Leave a comment

Pesquisador do GEHIM analisa Shakespeare em manuscrito a respeito da vida de Thomas More

shakespeares-handwriting-in-the-harley_ms_7368_f003r

A mais recente publicação de Ricardo Cardoso revela processos de composição, cortes e recortes da peça “Sir Thomas More” que teve William Shakespeare como um de seus participantes.

Em “A AUTORIDADE MORREU EM SUA REVOLTA’ CENSURA AO LEVANTE CONTRA ESTRANGEIROS EM SIR THOMAS MORE (C.1600–1603/4)” Cardoso analisa dois contextos diferentes para compreender a versão que chegou até nós: a redação e consequente censura em uma primeira versão e a posterior revisão da peça com a participação do ‘Bardo’.

Mais do que isso, o pesquisador revela a trama, as ideias e um esboço das personalidades díspares e muitas vezes contraditórias de alguns dramaturgos que compõe o tecido do teatro inglês do século XVII. Nas tensões, contradições e negações existentes entre as personagens do teatro e da política estudados por Cardoso é que podemos conhecer a história da peça do início do século XVII e do teatro shakespeariano a partir dos elementos extratextuais, textuais e da materialidade mesma do texto em importante contribuição à história da leitura, dos manuscritos e dos textos do teatro, bem como da política e da sociedade inglesa do período.

Para ter acesso ao artigo da revista da PUC-Rio clique aqui.

RESUMO

O manuscrito da peça Sir Thomas More (1600–1603/4) data da virada do século XVI para o XVII, contém vinte folhas avulsas do texto original que narra a ascensão e queda de Sir Thomas More (1478–1535). O documento é valioso por registrar materialmente o processo de criação e recriação dessa peça em diferentes momentos e por diversos agentes, entre eles William Shakespeare (1564–1616) e o Mestre de Cerimônias Edmund Tilney. Este artigo analisa os dois contextos políticos em que a peça parece ter sido escrita/censurada (1600/1) e então revisada (1603/4), investiga algumas hipóteses sobre os fatores extratextuais que podem ter contribuído para a
interdição, renovação e finalmente manutenção do referido trecho. Tal decisão, registrada nas diversas mãos do “texto original” e das “adições”, aparentemente aponta para o início de uma nova (e estrangeira) dinastia governando a Inglaterra e em nova relação com forasteiros.

Palavras-chave: William Shakespeare; Sir Thomas More; Jaime I.

Posted in Uncategorized | Leave a comment

Agenda GEHIM-USP – 1ºSemestre de 2019

No segundo semstre de 2018, o GEHIM realizou discussões em torno de textos antigos e modernos, documentos fundamentais para a história da Alta Idade Moderna, e de estudos historiográficos em geral complementares à análise das fontes. No próximo semestre, continuando numa mesma trilha, as discussões privilegiarão a relação entre a história e a teoria política, a história intelectual e a retórica. Além disso, serão retomadas as leituras de pesquisas, dissertações ou teses, realizadas por pesquisadores do grupo.

Quentin-Skinner

O historiador e professor da Universidade de Londres, Quentin Skinner.

Calendário de reuniões/leituras:

22 de fevereiro: 1ª PARTE de As fundações do pensamento político moderno de Quentin Skinner. (Companhia das Letras, 1996), pp. 9-210.

29 de março: 2ª e 3ª PARTES de As fundações do pensamento político moderno de Quentin Skinner. (Companhia das Letras, 1996), pp. 213-389.

3 de maio: 4ª PARTE de As fundações do pensamento político moderno de Quentin Skinner. (Companhia das Letras, 1996), pp. 393-626.

24 de maio: 5ª e 6ª PARTES de As fundações do pensamento político moderno de Quentin Skinner. (Companhia das Letras, 1996), pp. 393-626. 

28 de junho: o livro, concebido originalmente como dissertação de Mestrado por Marcella Miranda (GEHIM-USP), Aspectos práticos de uma teoria absoluta: A monarquia e as Cortes na Espanha de Felipe II (1556-1598). (Ed. Fino Traço, 2016), 216 p.

A tese de doutorado de Ximena I. León Contrera intitulada O desterro dos naturais da terra. Escrita, cotidiano, profecias e revolta na expulsão dos mouriscos de Espanha (1492-1614), capítulos 3, 4 e 5.

As reuniões serão realizadas às 14h na Cátedra Jaime Cortesão, no prédio do departamento de História da FFLCH-USP.

Posted in Uncategorized | Tagged , | Leave a comment

Encontro debate a cidade de Salvador na Monarquia Hispânica

salvadorXVII

Os grupos de pesquisa “A Monarquia Hispânica e o Império dos Felipes (1580-1640)”, o “GEHIM – Grupo História Ibérica Moderna” e a “Base de Dados Brasilhis da USAL (Universidade de Salamanca, Espanha)” convidam para a palestra:

A cidade de Salvador na Monarquia Hispânica (1581-1640)

Irene Mª Vicente Martín
European University Institute (Itália)
Universidad de Salamanca (Espanha)
Grupo de pesquisa Brasilhis

O encontro acontecerá no dia 06 de dezembro de 2018, a partir das 18h na Sala de Vídeo – Deptº de História da USP (Universidade de São Paulo).

Posted in Uncategorized | Leave a comment

Pesquisador do GEHIM faz um balanço sobre os trabalhos da jornada sobre Shakespeare na UNICAMP

Shakeflat,550x550,075,f.u2

O pesquisador do GEHIM e coorganizador da 7a Jornada de Estudos Shakespeareanos 2018 Ricardo Cardoso ajudou a estreitar ainda mais os laços entre pesquisadores brasileiros e britânicos nos oportunos debates ocorridos em Campinas entre os dias 21 e 23 de Novembro.

Marcaram presença na UNICAMP nomes como John Jowett (Shakespeare Institute, Reino Unido), Pascale Aebischer (University of Exeter), Jessica Chiba (Royal Holloway College), Lawrence Pereira Flores, José Roberto O’Shea, Marlene Soares dos Santos e Aimara Resende.

Além de ser um dos organizadores, Ricardo Cardoso apresentou um dos aspectos de suas pesquisas atuais em curso na comunicação “War, Wars, Hurly: O fim da Guerra Anglo-Espanhola (1585-1604) em “Othello”, “Sir Thomas More” e” If You Know Not Me You Know Nobody – part 1″.

Cardoso também mediou as discussões na mesa redonda com profissionais do teatro intitulada “Shakespeare Hoje”.

Segundo Cardoso, “o encontro abriu novas possibilidades para o avanço das pesquisas em âmbito nacional e estrangeiro graças ao intercâmbio durante as comunicações. Temas como dispositivos retóricos utilizados por Shakespeare, novos dados no estudo da configuração histórico-social das peças e a reverberação do cenário político atual tanto na leitura quanto na encenação dos textos receberam particular atenção”.

Para os conteúdos e contatos com a organização e os autores, acesse o link do evento.

Em 2020 está previsto um novo encontro shakespeareano de pesquisadores e atores que tem no bardo uma referência singular e incontornável.

Posted in Uncategorized | Leave a comment